Garotas de Batayporã e de outras cidades de MS têm imagens usadas indevidamente em redes sociais - PORTAL ANGÉLICA - Seu Portal de Notícias

28º min
36º min


Garotas de Batayporã e de outras cidades de MS têm imagens usadas indevidamente em redes sociais

Fotos e vídeos com frases que atacam a reputação das meninas estão circulando na internet

Publicado em: 10/01/2019 às 12h35

- nova news

Foto: Ilustração / EBC

Nos últimos dias fotos e vídeos de garotas menores de 18 anos, residentes em Mato Grosso do Sul, estão circulando nas redes sociais com títulos ofensivos e com frases que acabam por denegrir a reputação das meninas. Em alguns casos elas estão sendo chamadas de "marmitas" nas postagens.

Batayporã

Na manhã desta quinta-feira (10), o Nova News apurou que em Batayporã, por exemplo, casos semelhantes já foram comunicados à Polícia Civil. Segundo o delegado Filipe Davanso Mendonça, A Polícia Civil de Batayporã empregará os meios necessários para identificar quem estaria editando e colocando as imagens nas redes sociais. Ele também alertou que todas as pessoas que compartilham as fotos e vídeos também responderão criminalmente.

“Tanto a pessoa que criou as imagens quanto todos que as divulgarem responderão pelo crime de difamação, sendo que a pena é três meses a um ano de detenção”, explicou o delegado, ao afirmar que os casos ocorrem não apenas em Batayporã, mas a nível de estado.

Nova Andradina

Também na manhã desta quinta-feira (10), o Nova News entrou em contato com a Polícia Civil de Nova Andradina, no entanto, segundo o delegado Rafael Carvalho, pelo menos até o momento, nenhuma moradora da cidade procurou a Polícia Civil para registrar algum caso parecido. “Isso não quer dizer que não tenha acontecido, mas até agora, oficialmente, não há ocorrências neste sentido”, disse ele. 

Bandeirantes*

Segundo o Jornal Midiamax, vídeos de cerca de 20 meninas menores de idade, moradoras de Bandeirantes, circularam nos últimos dias na cidade, com a intitulação “as marmitas de Bandeirantes”. As vítimas têm de 14 a 18 anos.

O fato gerou indignação por parte das famílias, que procuraram a delegacia nesta quarta-feira (09). Os vídeos não são íntimos, de acordo com uma das mães, que preferiu não se identificar. São imagens em que elas publicam normalmente nas redes sociais, mas que estão sendo usadas com outro intuito.

Os suspeitos, de acordo com outra mãe, querem difamar as meninas. “Estão chamando nossas filhas de comida, espalhando e compartilhando isso nas redes sociais”, relatou. “Estas publicações estão virando modinha em Mato Grosso do Sul e então nós mães vamos nos unir para fazer uma campanha de conscientização, porque é crime”, afirma.

Até agora, em Bandeirantes, sete vítimas registraram boletim de ocorrência, mas de acordo com as mães, vídeos de cerca de 20 meninas da cidade estão circulando em grupos de Whatsapp e em stories de redes sociais. (*As informações são do Midiamax).