De catador de papéis nas ruas de Batayporã à presidência da maior empresa de conectividade do mundo - PORTAL ANGÉLICA - Seu Portal de Notícias

22º min
28º min


De catador de papéis nas ruas de Batayporã à presidência da maior empresa de conectividade do mundo

Laércio Albuquerque revelou à reportagem do Portal UOL que não esperava chegar onde chegou

Publicado em: 12/04/2019 às 07h00

- Nova News

Laércio Albuquerque, de 48 anos, é destaque na série 'UOL Líderes' - Imagem: Redes Sociais

Reportagem publicada nesta quinta-feira (11) pelo Portal UOL mostra a trajetória de Laércio Albuquerque, de 48 anos, um homem que passou de catador de papel pelas ruas de Batayporã, até a presidência da maior empresa de plataforma de conectividade do mundo, a Cisco. Em entrevista exclusiva na série ‘UOL Líderes’, Albuquerque revela que não esperava chegar onde chegou e defende a importância da educação na transformação de vidas como a dele.

Laércio conta que catava papelão pelas ruas de Batayporã na companhia de seus irmãos. “Meu pai tinha um bar. Vendia pão e leite de manhã e pinga à noite. Consegui depois um emprego de pegador de bolinha de tênis. Não precisava mais pegar papelão. Esses trabalhos nunca foram para ajudar meus pais em si. Eles nunca deixaram faltar nada, nem roupa, nem comida. Queríamos ajudar uns aos outros”, conta ele ao UOL.

O ex-catador de papelão disse que fez curso de datilografia e conseguiu fazer o colégio técnico. Virou office-boy em um banco e conseguiu pagar o colégio. “Um dia arrumei um estágio, chamei meu pai e minha mãe para contar que tinha arrumado um estágio na Duratex, uma empresa conceituada, com carteira assinada, e iria trabalhar na minha área... Ao longo da jornada eu nunca imaginei chegar onde estou”, afirma.

Albuquerque aproveita a oportunidade para dar algumas dicas: “Faça sempre muito bem feito aquilo para o que foi contratado para fazer. Seja o melhor. Faça a mais, e eu tenho certeza de que alguém vai olhar em algum momento e vai te trazer para outra posição. Eu passava madrugadas numa fábrica e, quando acabava meu trabalho, desenvolvia um monte de programinhas para ajudar. Um dia alguém olhou e me chamou para outro lugar”, pontua.

Nas palavras de Laércio, o ponto número dois é a escada do sucesso. “Não fique pensando só no último degrau. Se tiver o pé firme em cada degrau da sua vida, vai chegar muito mais sólido ao final dessa escada”.

 

“Não sou bom, tive oportunidade”

Laércio Albuquerque

Para ele, há ainda um terceiro ponto. “Quem aconselha a si mesmo tem um idiota como conselheiro. Você não é o dono da verdade, não é o cara que sabe tudo e que não precisa de ninguém. Busque conselhos, eu sempre busquei com os mais velhos e mais experientes. Para toda decisão que vou tomando na minha vida, busco conselhos com gente da área, gente de fora da área”, revela.

A empresa Cisco, da qual Laércio Albuquerque é presidente no Brasil conta com dois mil clientes no país; 74 mil funcionários a nível mundial; 600 colaboradores no Brasil; três unidades (São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal); um centro tecnológico (Rio de Janeiro); faturamento global de US$ 50 bilhões, sendo que o lucro global da empresa em 2018 foi de US$ 13,7 bilhões.

Uma das frases que mais chama a atenção na entrevista de Laércio Albuquerque ao UOL é: “Não sou bom, tive oportunidade”. Segundo ele, vencer a era digital é uma obrigação de sobrevivência. Para ele, no futuro, muitos empregos serão gerados, milhões de empregos serão eliminados, porém, o desafio é saber se as pessoas serão capazes de vencer e posicionar o país como destaque na era digital, com a inclusão da sociedade.

“Existem centenas de milhares de vagas abertas que não são preenchidas porque não há pessoas preparadas em educação digital. Estar conectado com o digital é, sem dúvida alguma, uma necessidade grande”, afirma. (*As informações são do Portal UOL – Para conferir a reportagem original na íntegra clique aqui).