Já Delcídio do Amaral, que deve trocar o PTC pelo PTB, é réu na 13ª Vara Federal de Curitiba. Ele é acusado de ter recebido propina de R$ 1 milhão pela compra da refinaria da Pasadena pela Petrobras nos Estados Unidos. O ex-senador aguarda questionamentos da colaboração premiada firmada com a Procuradoria-Geral da República.

Bumlai foi o primeiro a ser condenado por gestão fraudulenta de instituição financeira e corrupção. A ação refere-se ao empréstimo de R$ 12 milhões concedido pelo Banco Schahin em 2004 ao pecuarista para repasse ao PT em troca de contrato com a Petrobras. A empresa Schahin Engenharia ficou com o navio-sonda Vitória 10.000.

O empresário recorreu contra a sentença, mas o recurso foi negado na quinta-feira (16) pela 4ª Seção do TRF4. Os desembargadores determinaram o imediato cumprimento da pena.

Ao G1, a defesa de Bumlai informou que ele tem convicção de que conseguirá reverter a sentença nos tribunais superiores.

Um dos maiores produtores rurais de Mato Grosso do Sul, José Carlos Bumlai se tornou amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na campanha de 2002 e foi um fiador da candidatura do petista entre os representantes do agronegócio.

Ele teve a prisão decretada na Operação Lava Jato, mas estava em liberdade. De acordo com a defesa, o pecuarista deverá ser apresentar em Curitiba (PR) assim que for notificado pela Justiça Federal.