Taxista encontrado morto em Caarapó foi vítima de latrocínio e levou 8 facadas

Ele teria aceitado uma corrida com três pessoas e gerou desconfiança de colega

| MIDIAMAX/VINíCIUS COSTA


(Foto: Sidney Bronka)

O taxista Ademar Beraldo, de 60 anos que havia desaparecido na noite de sexta-feira (22) e foi encontrado somente neste domingo (24) já sem vida, foi vítima de um latrocínio e teria sido morto com pelo menos 8 facadas no peito e no pescoço. Ele foi encontrado em uma localidade conhecida como Pedreira, em Caarapó, distante a 273 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o site MS em Foco, o corpo do taxista foi encontrado parcialmente queimada em um canavial, a 20 metros da Lagoa da Pedreira, que fica próximo ao centro de Caarapó. Segundo o site, quem encontrou a vítima foi uma pessoa que viu uma cadeira queimada e com marcas de sangue e avistou o corpo com as mãos e os pés amarrados.

Tudo teria começado, segundo um taxista que convivia com Beraldo, na noite de sexta quando ele havia aceitado uma corrida com três pessoas. O colega de trabalho desconfiou das pessoas e teria ligado para o filho de Ademar avisando sobre o ocorrido e também se preocupando com a segurança do taxista.

Ainda na noite de sexta, a família fez buscas na região, partes da capa do banco do carro e alguns documentos pessoais de Beraldo foram encontrados nas margens da MS-156.

O corpo do taxista foi encaminhado para o IMOL (Instituto Médico e Odontológico Legal) de Dourados, onde segue sendo periciado. Já a Polícia Civil de Caarapó é quem investiga as causas da morte.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE