Autor do disparo que matou adolescente em boate é policial militar


O autor do disparo que matou o adolescente Luiz Junior Souza, de 17 anos, é policial militar do comando geral e não segurança, como foi divulgado anteriormente. O caso aconteceu por volta de 2h30 deste sábado (10) em uma festa de funk, na Chácara da República, localizada na rua da Divisão, Jardim Monte Alegre, em Campo Grande.

O advogado Amilton Ferreira de Almeida que representa o policial, afirmou que o militar estava na festa e não a trabalho. Ele conta ainda, que por volta de 02h30 começou uma briga generalizada e houve um disparo de arma de fogo dentro da casa de shows, quando as pessoas que estavam na festa, saíram correndo. "Todo mundo correu para fora da boate e o policial também saiu, foi quando ele viu o adolescente armado", conta.

Ainda segundo Almeida, o policial deu voz de prisão para o jovem, mas ele não obedeceu e disparou duas vezes contra o policial, que revidou. O tiro atingiu o pescoço do adolescente, que morreu no local. "O PM ficou confuso e me ligou me perguntando o que fazer, se ficava no local ou se ia embora, pois tinha muita gente. Eu orientei ele a sair do lugar e logo em seguida entrei em contato com o delegado".

O policial será apresentado na segunda-feira (12) no delegacia do bairro Piratininga. "Ele deve ser apresentar na parte da tarde", afirma o advogado.

A proprietária da casa de shows entrou em contato com o Campo Grande News, mas preferiu não ter o nome divulgado. Ela contou que na madrugada, uma briga começou envolvendo duas ou três pessoas.“Essas pessoas foram retiradas da festa pelos seguranças, em seguida ouvimos os disparos e saímos para ver, mas foi bem longe da nossa entrada”, diz.

Segundo a empresária, os seguranças da casa não se envolveram no crime e não poderiam ter atirado contra o adolescente, porque não usam armas. “O que nós fizemos foi terminar de fechar a casa, pois a festa já estava no fim e ficamos com medo de maiores confusões, alguém se ferir”, diz.

A proprietária ainda reforça que nem sabe se o adolescente participou da festa e não tem conhecimento sobre quem teria atirado contra ele. “O que sei é que nossa casa tem todos os documentos necessários para se trabalhar, todos os alvarás, e isso não aconteceu lá dentro”, afirma.

Crime - Conforme informações da Polícia Civil, o adolescente estava na festa, quando uma briga começou entre as pessoas. Um segurança da casa teria tentado apartar a briga, sacou a arma e atirou. O tiro atingiu o pescoço do jovem.

Após o crime, o segurança fugiu. A Polícia Civil foi acionada e quando chegou no local, o corpo do jovem estava do lado de fora da casa de shows e o local fechado. Os donos não foram localizados.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE