Um dos assaltantes mortos em roubo a joalheira na Bolívia era morador de Corumbá, MS

Mãe do suspeito inclusive procurou a delegacia da cidade para saber informações sobre o corpo do filho, que ainda está na Bolívia.


Um dos três assaltantes mortos nesta quinta-feira (13) em uma tentativa de roubo a uma joalheria na cidade de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, Camilo Maldonado Pinto, de 22 anos, conhecido como “Baiano”, era morador de Corumbá. A informação foi divulgada na manhã deste sábado (15), pela imprensa boliviana.

Segundo a Polícia Civil em Corumbá, a mãe do suspeito inclusive procurou a delegacia da cidade para saber informações sobre o corpo do filho, que ainda está na Bolívia. Levantamento da polícia brasileira aponta que a única passagem dele no país seria por uma briga entre adolescentes.

O outro assaltante morto também já identificado é Antonio Adão da Silva Costa. O brasileiro cumpria pena em regime semiaberto na Bolívia. Segundo o governo boliviano, ele teria liderado a tentativa de assalto a joalheria.

A partir de agora a Polícia Federal brasileira deve agir burocraticamente para que ocorra o translado dos corpos dos três brasileiros mortos na tentativa de roubo. Ainda não há informações de quando isso deve ocorrer.

De acordo com o governo boliviano, a suspeita é que os brasileiros sejam integrantes da facção criminosa PCC.

Além dos três brasileiros, morreram em uma troca de tiros com a polícia boliviana outras duas pessoas. A gerente da joalheria, Lorena Torres, que foi usada como escudo humano e o policial boliviano Carlos Gutierrz. Um quarto assaltante e uma mulher foram presos.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE