Depois de impasse, Saúde confirma mapa de MS 100% pintado pela covid

Caso positivo voltará a contar para Figueirão, única cidade que estava “imune' até agora

| ANAHI ZURUTUZA / CAMPO GRANDE NEWS


Figueirão, cidade de 3,2 mil habitantes, é a última de MS a ter caso confirmado de coronavírus (Foto: O Correio News)

O caso de um médico que testou positivo para o novo coronavírus voltará a contar para Figueirão, a única cidade que em pouco mais de 4 meses da chegada da pandemia a Mato Grosso do Sul estava “imune'. Agora, pelo menos do ponto de vista estatístico, a covid-19 está em 100% das cidades sul-mato-grossenses.

A prefeitura da cidade de 3,2 mil habitantes, localizada a 226 km de Campo Grande, contestou nesta quinta-feira (30) o registro do primeiro caso, alegando que se tratar de médico, de 35 anos, que faz plantões no município, mas reside na Capital. A SES (Secretaria Estadual de Saúde) informou, contudo, que o próprio paciente diz morar em Figueirão e apresentou documento para a comprovação.

Ontem, a SES, por meio da assessoria de imprensa, chegou a confirmar que houve a transferência da notificação para a Capital, mas a informação será corrigida.

O boletim epidemiológico de amanhã (1º) trará o mapa do Estado todo pintado de vermelho. Veja como foi o avanço da doença pelos municípios:

Evolução – Os primeiros casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul foram detectados no dia 12 de março e confirmados no dia 14. Em 12 de abril eram 101 positivos, 405 no mês seguinte, 3.001 no dia 12 de junho e chegaram a 13.197 no dia 12 deste mês, quanto 4 das 79 cidades do Estado ainda não tinham casos positivos.

O boletim desta sexta-feira trouxe 24.936 confirmações e 376 óbitos.

Dúvidas - O prefeito de Figueirão, Rogério Rosalin (PSDB), ainda tem dúvidas. Diz que o cartão do SUS (Sistema Único de Saúde) tem Campo Grande como cidade de residência do médico. Ele também não sabia que o paciente era morador de Figueirão. “Soube até que ele está lá em Cáceres, no Mato Grosso'.

O chefe do Executivo municipal afirma ainda que as pessoas que tiveram contato com o profissional de saúde até agora não apresentaram sintomas, mas foram isoladas e testada por precaução. “Estamos esperando os resultados do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública)'.

Rogério Rosalin diz que tem mais um morador com suspeita da doença. Ele esteve, recentemente, em Paraíso da Águas com pessoa que depois testou positivo. Esse morador também está isolada e aguardando o resultado do exame.

O prefeito pensa em fechar as saídas da cidade para tentar adiar o avanço do coronavírus pelo município. “Mas tudo depende desses testes, se derem positivo, aí não adianta mais. É inevitável, uma hora ou outra vai chegar, mas temos de tentar adiar ao máximo. Estamos com o radar ligado'.

Desde março há toque de recolher e ainda “lei seca' em Figueirão, com a proibição de consumo de bebidas alcoólicas em público.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE