Indígena que viveu há 2 mil anos no Brasil tem rosto reconstituído

A reconstituição foi feita por contados através de um crânio encontrado em Pernambuco

| MIDIAMAX


Rosto da parente mais antiga dos pernambucanos foi reconstituído através da tecnologia (Foto: Reprodução/TV Globo)

O rosto de uma índia que viveu há 2 mil anos no município de Brejo da Madre de Deus, em Pernambuco, foi reconstruído de maneiro virtual e 3D através do crânio dela, que foi encontrado por pesquisadores.

A indígena tinha idade entre 15 e 18 anos e pertenceu a um grupo nômade, ela é considerada a parente mais antiga dos Pernambucanos, conforme publicado no portal G1.

A reconstrução do roto ocorreu a partir do crânio encontrado e remasterizado em 3D, com a imagem já no computador, programas puderam definir a espessura da pele e posição dos músculos.

O nariz, os lábios e posição das orelhas foram desenhados a partir de projeções. Através do processo de escultura digital, o rosto foi modelado e ganhou acabamento.

Cícero Moraes, designer 3D responsável pela reconstrução do rosto, explica que todo o trabalho tem início a partir do levantamento do crânio, sexo e faixa etária feito por um especialista.

“O processo de reconstrução facial forense inicia a partir do momento que o especialista faz um levantamento a partir do crânio, do sexo, da faixa etária e da ancestralidade do indivíduo a ser reconstruído. Posteriormente, neste caso, foi feita uma série de fotografias no crânio. Essas fotos foram enviadas para um algoritmo computacional que converteu a sequência em um objeto 3D compatível com o crânio', explicou.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE