Pilantra: mulher finge estupro para ganhar seguidores em redes sociais

Caso ocorreu em Ipatinga, Minas Gerais

| TOP MíDIA NEWS/THIAGO DE SOUZA


Crédito: Reprodução redes sociais

Uma jovem blogueira usou as redes sociais para denunciar um falso estupro, em Ipatinga, Minas Gerais. Ela usou sangue de um ferimento na gengiva e roupas rasgadas para dar um ar de verdade para a trama, com o simples desejo de ganhar seguidores nas redes sociais. 

No vídeo postado, a blogueira aparece chorando, com sangue escorrendo e roupas rasgadas. Ela disse que tinha sido atacada por um motorista de aplicativo de cabelos grisalhos. Logo após o suposto crime, a jovem procurou uma UPA da cidade. Assim que os profissionais do local perceberam que era um caso de violência sexual, acionaram a polícia. A falsa vitima começou a entrar em contradição e revelou a trama. 

À polícia, ela contou que vive em Governador Valadares e tinha viajado até Ipatinga para participar de uma comemoração em um hotel. Logo que o evento acabou ela teria ido até a rodoviária de Ipatinga onde, segundo ela, combinou com um taxista clandestino o retorno a Governador Valadares. Em um primeiro momento, a suspeita jurou que o estupro teria ocorrido neste trajeto. 

Ainda segundo o relato, a blogueira descreveu com detalhes que o suposto taxista a teria levado até uma área deserta e a violentado no caminho. De acordo com ela, depois ele ainda teria roubado sua bolsa. Com o relato em mãos, a polícia passou a abordar todos os motoristas de aplicativos e taxistas que tinham o cabelo grisalho, apontado pela vítima. Imagens de câmeras de segurança também foram analisadas. 

Segundo o Jornal O Tempo, questionada sobre os detalhes, a mulher acabou admitindo que tinha inventado a história para “ganhar seguidores” em suas páginas nas redes sociais e aumentar o “engajamento social”. 

Vídeo viralizou no WhatsApp

Enquanto a polícia ia atrás do rastro do suposto motorista de táxi clandestino que a teria estuprado, a mulher foi às próprias redes sociais e deixou um vídeo no Instagram com duração aproximada de um minuto para relatar o episódio de violência sexual inventado

“Avisar pra (sic) vocês não pegarem carro clandestino, avisem suas amigas, avisem todo mundo. Olha o que ele fez comigo. Tô (sic) muito chocada. Não consigo falar muito agora, não (…). Fez mal comigo (sic) (…), não consigo acreditar, e que ele tá (sic) solto”, relata. Alguns trechos da fala da blogueira são inaudíveis em função do choro e do soluço. Ela coloca a mão no peito a todo momento e também chora com uma das mãos cobrindo o rosto que aparece uma única vez nas imagens.

Um print tirado por seguidores logo após o crime indica que a mulher reunia cerca de 16,8 mil seguidores no Instagram com apenas 11 publicações. 

A blogueira vai responder por falsa comunicação de crime. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE