Ex-cunhado que matou agrônomo diz que era ameaçado e atirou porque ‘sangue subiu’

| IVI NOTíCIAS/MIDIAMAX


Revólver foi apreendido (Foto: Divulgação)

Preso em flagrante, veterinário de 25 anos acusado de matar o agrônomo Erick Wagner Batista Inserra, de 41 anos, alegou que sofria ameaças por parte do ex-cunhado. O crime aconteceu na quarta-feira (2) no Monte Castelo, na casa da vítima, quando suspeito foi buscar o sobrinho.

Segundo depoimento do rapaz, Erick foi casado com a irmã dele e se separaram há aproximadamente um ano. Ainda conforme o veterinário, o ex-cunhado já tinha agredido a irmã dele, que solicitou Medida Protetiva contra o ex. Mesmo assim, com guarda compartilhada o filho do casal passava dias com o pai.

Após a separação, Erick teria feito ameaças pelo WhatsApp e por ligações para o veterinário, que alegou não aguentar mais as brigas com a família. De acordo com ele, nem mesmo o filho queria mais ficar na casa de Erick. Na tarde de quarta-feira, quando foi buscar o sobrinho, houve o desentendimento.

Conforme o rapaz, o menino saiu da casa e depois lembrou do videogame, quando entrou novamente para desinstalar o aparelho. Neste momento Erick teria dito “O que você está olhando, vou te pegar ainda” e xingou o veterinário. “O sangue subiu”, disse o rapaz durante o depoimento.

Após a suposta ameaça, ele voltou para casa, buscou a arma de fogo e mostrou para Erick, quando começou a atirar. “Estava muito nervoso e fiquei cego”, disse. Erick foi atingido pelos disparos e mesmo após cair no chão, recebeu mais um tiro disparado pelo ex-cunhado. Ainda segundo o rapaz, ele mesmo chamou a polícia e aguardou a chegada, mas jogou as cápsulas deflagradas fora.

Autuado em flagrante pelo Homicídio simples, ele passará por Audiência de Custódia nesta quarta-feira para definir se permanece detido.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE