Bebê é diagnosticada com câncer após pediatra ignorar nódulo do tamanho de bola de tênis

Os pais de Laurel fazem campanha para arrecadar dinheiro para tratamento


Uma bebê de um ano de idade foi diagnosticada com neuroblastoma estágio quatro — um câncer incurável na glândula adrenal — dias depois que a pediatra ignorar um nódulo do tamanho de uma bola de tênis. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

Laurel Bares, de Massachusetts, nos Estados Unidos, foi ao pediatra para realizar exames de rotina, já que os pais acharam que ela estava muito irritada e distante. A médica fez um exame físico e disse que eles não tinham nada com o que se preocupar.

Os pais da bebê foram atrás de uma segunda opinião, já que a menina estava pálida, com febre, e segurava o abdômen constantemente. Então, descobriram que a menina estava com um neuroblastoma estágio quatro. Depois do diagnóstico, a menina fez cinco fases de quimioterapia e passou por uma cirurgia que removeu 99% do tumor.

De acordo a mãe de Laurel, Leah, os médicos acreditavam que a menina estava curada do câncer.  



Os médicos estavam muito confiantes de terem retirado o câncer completamente, mas, com a quimioterapia, ela estaria exposta à radiação. Então, começamos a fazer testes para uma terapia com células-tronco.

Após a última bateria de exames, os médicos diagnosticaram que o câncer havia voltado e se espalhado nos rins, no quadril, na coluna vertebral, no crânio e em parte do osso da mandíbula.

Leah conta que ficaram devastados com a notícia, mas que ainda haviam possíveis formas de tratamento. 



Os médicos nos disseram que havia duas opções de tratamento que poderíamos escolher, mas ambas não tinham altas taxas de sucesso.

Uma das opções seria uma terapia com radiação e o segunda, uma mistura de imunoterapia e quimioterapia. Agora, a família está indo para o hospital para crianças Helen Devos, para tentar uma terapia experimental chamada PEDS-PLAN de um especialista em câncer pediátrico.

O tratamento é financiado por uma instituição de caridade que foi criada por pais que perderam seu filho para a mesma doença. Porém, como é experimental, provavelmente o seguro da família não irá cobrir e, portanto, eles estão arrecadando dinheiro para pagar o tratamento.

Leah, que é uma artista, disse que se considera sortuda de ter uma carreira em que ela é dona do seu próprio negócio, assim pode ficar em casa com a filha.  



Nós não temos certeza do que está por vir, mas estou tão feliz por poder ficar em casa com Laurel e não ter que colocá-la em uma creche.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE