Polícia prende seis suspeitos de sequestro de garoto na fronteira

Três foram identificados como funcionários da família


Seis pessoas, sendo três funcionários da família do garoto Pedro Urbieta Aguilar de 12 anos, foram presas na tarde de sábado (19), pela Polícia Nacional do Paraguai, acusados de participar no sequestro do estudante, na ação policiais civis de Ponta Porã também participaram das prisões.

Leia também

>>Filho de empresário é libertado por sequestradores e já está em casa

De acordo com o “Porã News”, o sequestro foi tramado por três funcionários da família, sendo dois da empresa do pai do garoto e a empregada doméstica da residência da família. 

Foram presos, Cesar Sebastian Ojeda Sanchez, Américo Sanchez interno do presídio de Pedro Juan Caballero, Felipe Luis Samúdio, padrasto de César e que é funcionário na empresa da vítima, Vicente Ramon Pereira Arce, Gustavo Alberto Iturbe Valdez, também funcionário de uma das empresas e marido de Eunice Ojeda Sanchez, tia de Cézar e empregada doméstica na casa do avô da vítima e que também, segundo a policia, participou do sequestro do menino.

Durante entrevista coletiva, policiais paraguaios e brasileiros que trabalham nas investigações disseram que o trabalho conjunto dos dois países acabou assustando os criminosos. Eles disseram também que as investigações continuam e que pode haver mais prisões.

Pedrinho foi levado por três homens armados na manhã de quinta-feira (17), quando seguia com o motorista da família para a escola e liberado por volta das 23h do mesmo dia. Durante o dia os sequestradores exigiram R$ 1 milhão para liberar o garoto. Polícia nega que houve pagamento na liberdade do menino.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE