Kelvin Gastelum, sobre Anderson: 'Vai manter a luta em pé, o que me motiva'

Americano exalta o duelo contra o ex-campeão do peso-médio e garante estar motivado, apesar da derrota para Weidman: "Nunca quis vencer tanto quanto agora"


Kelvin Gastelum estava embalado por duas vitórias consecutivas - a terceira, contra Vitor Belfort, foi invalidada após o americano ser pego no exame antidoping. Entretanto, engana-se quem pensa que a derrota por finalização para Chris Weidman, em julho, no UFC Long Island, o deixou abalado.

Em entrevista ao site "FloCombat", o lutador, que treina com Rafael Cordeiro, na Kings MMA, em Los Angeles (EUA), afirma que está empolgado para dividir o octógono com Anderson Silva, no UFC Xangai, dia 25 de novembro.

Anderson Silva x Kelvin Gastelum: atletas do peso-médio lideram a edição do UFC na China (Foto: Infoesporte)

É uma grande luta para mim. Tenho punch, e Anderson não tem a habilidade do Chris Weidman no wrestling. Ele não vai querer me enfrentar no wrestling de jeito nenhum. Talvez até queira, não sei, mas ele não tem o pedigree para me enfrentar no wrestling. Ele vai manter a luta em pé, o que me motiva. Estou completamente motivado depois da minha última luta. Fiquei chateado, frustrado por umas semana, mas voltei a sentir o fogo crescer dentro demim. Eu nunca quis vencer tanto quanto agora. Nunca senti tanta necessidade de me provar mais do que agora nessa luta contra o Anderson.

Gastelum revela que estava cogitando encarar um adversário do top 5 do peso-meio-médio para se colocar no "bolo" pelo cinturão - até que surgiu a proposta de enfrentar Anderson, duelo que deveria ter acontecido no UFC Rio 7, em junho, cancelado após o doping por maconha do americano.

Embora eu estivesse com isso em mente, vou ótimo deixar essa oportunidade passar. Lutar contra um dos maiores de todos os tempos, talvez o maior que eu já tenha enfrentado, ainda mais na China, não tem nada melhor. 

Com apenas três derrotas em 16 lutas na carreira, Gastelum aposta em um grande confronto com Spider e em sua redenção após perder para Weidman, responsável por destronar o brasileiro em 2013

- Eu sei que ele não vai querer me derrubar, não é algo que eu o veja fazendo muito. A maioria das pessoas que eu enfrento sabem que eu irei nocauteá-las se a luta ficar em pé, mas a melhor arma do Silva também é na trocação. Será uma grande luta. Vou com fogo nos punhos e no coração. Alguma coisa mudou em mim por conta da última luta e vou mostrar ao mundo do que eu sou feito.



UFC China
25 de novembro, em Xangai
CARD DO EVENTO (até o momento):
Peso-médio: Anderson Silva x Kelvin Gastelum



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE