Golpistas roubam ambulância após falso aluguel de UTI Móvel avaliada em R$ 100 mil

Dono de ambulância é de São Paulo e trouxe o veículo até Dourados


Um empresário do interior de São Paulo, que preferiu não se identificar, teve uma ambulância – UTI móvel – avaliada em R$ 100 mil roubada por um trio de golpistas, supostamente, de Mato Grosso do Sul, nesta sexta-feira (1º). Os bandidos que se identificaram como funcionários da empresa Biosev de Rio Brilhante, a 158 km de Campo Grande, disseram que iriam alugar o veículo por seis meses.

A vítima relatou ao Jornal Midiamax, que os bandidos armaram um suposto aluguel de sua ambulância. “Eu recebi a ligação de um deles dizendo que queria a contratação da ambulância pelo prazo de seis meses, me passaram identificação, telefones, documentos, tudo que eu precisava para fechar o negócio. Durante a negociação, o envolvido pediu até a cópia do comprovante de endereço”, explica.

Assim que chegou na entrada de Dourados, por volta das 13h30, a vítima telefonou para o suposto cliente e marcou o encontro no estacionamento de um mercado. Uma dupla, devidamente uniformizada e com o carro adesivado com a logomarca da referente empresa, seguiu com a vítima até a Annex Vistoria, no Bairro Parque Nova Dourados para que a ambulância passasse por uma vistoria veicular.

Na suposta oficina, a dupla sugeriu que a vítima fosse para um hotel tomar um banho enquanto a ambulância passava pelo procedimento. “Entreguei as chaves para um funcionário da Annex às 14h10 e a dupla me acompanhou até o hotel, onde já havia uma reserva, não desconfiei de nada. Como demorou muito, às 16h, peguei um moto-táxi e voltei a oficina. Para minha surpresa fui informado de que alguém já tinha levado a ambulância”, relata a vítima.

A dupla, de aproximadamente 20 e 50 anos, estava em um veículo Pálio, de cor branca, com placas de Dourados. Assim que percebeu o golpe, a vítima tentou telefonar para os envolvidos, mas os números já estavam inválidos e no WhatsApp a logo da empresa já não aparecia. “Já está registrado e não tem o que fazer. Até a delegada me disse que tudo foi muito bem arquitetato”, finalizou.

Segundo a vítima, o local possui câmeras de segurança, mas teme que as imagens sejam apagadas pelo mesmo funcionário que ficou com sua chave. O crime foi registrado na 2ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados como estelionato.

O jornal tentou contato com a empresa Biosev com sede em São Paulo, mas não conseguiu.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE