Gilmar detona Janot e diz que houve obstrução de Justiça por parte da JBS


O ministro Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse que as revelações feitas na segunda-feira (4) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, configuram um caso de obstrução de Justiça.

Em entrevista ao jornalista Reinaldo Azevedo no programa “O É da Coisa”, da Rádio Band News FM, o ministro criticou a Procuradoria e afirmou que o órgão parece ter vontade de superar o trabalho da Polícia Federal.

O magistrado citou erros na delação premiada de executivos da JBS, como, por exemplo, deixar de fazer uma perícia nos áudios fornecidos.

“Isto é um vexame, qualquer estudante de nossas academias se sente constrangido, A polícia Federal ri deste vexame que também envolveu o Supremo Tribunal Federal”, ironizou Mendes.

Gilmar Mendes também disse que o Supremo Tribunal Federal tem sido complacente com as atitudes de Rodrigo Janot, criticando a postura do procurador.

“Certamente nos rebaixamos tanto por conta deste modelo de república sindicalista, que permitiu que um sindicalista, cuja maior nota no currículo é ser ex-presidente de associação se tornasse procurador-geral da República”, disse o ministro.

“O próprio Supremo, vamos dizer claramente, foi de alguma forma complacente com os abusos desse senhor e de seu grupo que, claro, tinha um projeto político: assumir a supremacia de toda a ordem institucional. É evidente isso.

Ele também revelou que ficou perplexo com tantos desmandos, ao se referir à gravação que mostra que havia a intenção de conseguir com o ex-ministro da Justiça José Eduard Cardozo elementos para prejudicar ministros do STF. As informações são do portal Band



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE