NOVA ANDRADINA: Golpe do falso curso pode ter feito 250 vítimas em MS e prejuízo de 21 mil reais


A Polícia Civil investiga um homem , conhecido como 'Junior Palestrante', suspeito de aplicar o golpe do 'falso curso' em diversas cidades de Mato Grosso do Sul. Até o momento, a estimativa é de 250 vítimas e o prejuízo de R$ 21 mil aos candidatos, somente em Nova Alvorada do Sul.

Conforme relatos de testemunhas e de um ex-sócio do suspeito, que se disse enganado por ele, o homem chega nas cidades do estado e oferece cursos  à população, sendo que os valores cobrados seriam referentes apenas à taxa de matrícula.

Foi o que ocorreu com um curso voltado  para a carreira militar. Neste caso, o curso era gratuito, promovido por uma organização não-governamental e bancado pelo governo.

Ainda segundo os relatos, no dia 5 de agosto, os candidatos fizeram uma pré-seleção em uma igreja local, sendo a prova um caderno de questões com 18 perguntas sobre raciocínio-lógico. Na ocasião, a maioria foi aprovada nesse teste.

As vítimas contam ainda que deveriam retornar no próximo dia para participarem de uma palestra e pagar R$ 99,90 a título de contribuição. Em nome dos aprovados, foi preenchido um contrato com a empresa UP Escola de Profissões, sendo gerado um boleto de 12 parcelas de 114,90. Nesse dia, uma testemunha diz que havia cerca de 100 pessoas e que desde então aguardam o início dos estudos.

O ex-sócio de Júnior, Eduardo Fonseca Negreiro, relatou à polícia que conheceu o suspeito pelas redes sociais e posteriormente fizeram uma parceria para atuar na cidade. No início, o suposto autor oferecia os cursos em um salão de uma associação de moradores, ate que o estabelecimento, encontrado por Eduardo estivesse disponível.

O ex-parceiro do golpista disse que começou a desconfiar do palestrante por conta de reclamações registradas em outras cidades.  No entanto, na manhã de segunda-feira (4), o homem disse que iria para Rio Brilhante e voltaria, mas antes passaria na escola que pertence aos dois. Instantes depois, Eduardo notou que seu computador e R$ 1.180 do caixa haviam desaparecido. A partir daí, Eduardo não conseguiu mais contato com ele.

Conforme a Folha da Cidade MS, a mãe de um aluno contou que fez a matrícula para três cursos e depois da repercussão do caso, foi buscar informações no local.

O ex-sócio diz lamentar toda a situação, mas disse que vai dar continuidade com os cursos e negociar os valores com os professores e alunos. Ele alega ter tido prejuízo de R$ 7 mil.

Contra Junior Palestrante, há pelo menos cinco boletins de ocorrência por suposto crime de estelionato.  Há informações extraoficiais de que Junior Palestrante esteja preso na delegacia local.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE