PMA prende traficante com papagaios e pássaros em Nova Andradina

Ação aconteceu num acampamento de sem-terras às margens da MS-276


Nesta quinta-feira (28), policiais da PMA (Polícia Militar Ambiental) de Batayporã, enquanto realizavam prevenção e orientação nas propriedades rurais e assentamentos, no sentido de evitar que as aves sejam retiradas dos ninhos, receberam informações de que um homem, residente em um acampamento de sem-terras, localizado à margem da BR-376, nas proximidades do córrego Baile, no município de Nova Andradina, estaria efetuando a captura de papagaios.

Uma equipe foi ao local e encontrou o infrator de 25 anos, que já havia capturado dois papagaios e dois canários-da-terra. As aves foram apreendidas. As informações indicavam que o infrator recebeu encomenda para a retirada de grande quantidade de papagaios, o que indica que os trabalhos preventivos da PMA estão surtindo efeito.

O infrator foi conduzido à delegacia de Polícia Civil de Nova Andradina e responderá por crime ambiental. A PMA também autuou o infrator administrativamente e arbitrou multa de R$ 4 mil.

As aves serão encaminhadas ao Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), na Capital.

Prevenção e fiscalização

Este é um período preocupante para a PMA com relação ao tráfico de animais silvestres, pois, de agosto a dezembro é o período de reprodução do papagaio que é a espécie mais traficada no Estado. Devido a alguns levantamentos preocupantes realizados pelo Setor de Inteligência relacionados com relação ao tráfico de animais, a PMA está realizando trabalhos preventivos nas propriedades rurais, por meio de informação da legislação e Educação Ambiental, visto que o modus operandi principal dos traficantes é de aliciamento dos sitiantes. Assentados e funcionários de propriedades rurais, para que retirem os animais e os avisem para que os comprem. Muitas pessoas fazem isto, às vezes, sem saber que estão cometendo crime ambiental.

A região principal do problema está sendo monitorada, tais como, os municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. Nessa região, ninhos também estão sendo monitorados pelos Policiais, para evitar a retirada dos filhotes, visto que essa é a preocupação maior. A base do trabalho é evitar a retirada das aves, evitando custos à fauna e ao Estado, tendo em vista os altos custos financeiros, até a reintrodução dos filhotes na natureza.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE