EXPEDIÇÃO AVICULTURA: Próxima década é promissora para o setor

Atualmente, 38% do frango consumido no mundo vêm do Brasil. Para manter o ritmo, a produção vai continuar crescendo


No encerramento da Expedição Avicultura 2017, que ocorreu nesta terça-feira (26/09), na sede da cooperativa C.Vale, em Palotina (PR), foram divulgados os balanços dos trabalhos realizados ao longo de três meses nos seis maiores estados produtores e exportadores do país: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

Aumento na produção - De acordo com dados da Expedição Avicultura, o Brasil terá um aumento de 1,55% na produção e de 4% na exportação de frango em 2017. Ao todo, serão produzidos 13,1 milhões de toneladas da proteína. “Ao longo da última década, o Brasil cresceu 60% na produção e 100% na exportação. São taxas impressionantes. A próxima década também é promissora. Mas vamos crescer com um ritmo mais lento e equilibrado. E esse será o grande desafio”, afirma o gerente do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo e coordenador da Expedição Avicultura, Giovani Ferreira.

Visitas - Ao longo dos quase 16 mil quilômetros percorridos pela equipe de técnicos e jornalistas, foram visitadas mais de 140 granjas, agroindústrias, cooperativas, produtores e corredores de exportação. “A avicultura é um setor extremamente importante para o desenvolvimento social e econômico do campo e da cidade. O desafio do futuro será nos mantermos competitivos. E por isso a importância da informação. Quanto mais informado, mais preparado o produtor, a cooperativa, o player estará”, afirma Ferreira.

C.Vale - Apoiadora da Expedição Avicultura, a C.Vale, que também foi anfitriã do evento, vai completar 20 anos no setor em outubro. Segundo o presidente Alfredo Lang, quando a cooperativa começou, ela foi pioneira no Brasil na implantação de granjas climatizadas. “Havia quem nos chamasse de loucos. Mas viramos referência. Hoje todos trabalham neste modelo”, diz. Lang também conta que a C.Vale, que atualmente abate 530 mil aves por dia, pretende aumentar a produção para 600 mil aves abatidas/dia até 2018.

Setor novo - O coordenador de território aves do Paraná da Boehringer Ingelheim, Melquiades Dvojatzki Junior, ressalta que a avicultura é um setor relativamente novo para empresa, a maior farmacêutica do mundo com capital fechado. “Para nós foi uma excelente experiência ser parceiro da Expedição”. Em sua apresentação, Junior destacou a estrutura da multinacional alemã, que também atua no segmento de saúde animal. “O setor de avicultura é muito promissor.”

Atividade desafiadora - Presidente da Integra e dono da Frangos Pioneiro, de Joaquim Távora (PR), Paulo Cesar Massaro Thibes, usou a história dele com a avicultura para falar sobre a atividade. “Trabalho com avicultura há 40 anos. É uma atividade desafiadora, por isso é apaixonante. Uma genética estabelecida hoje é passado em seis meses. É fantástico. É uma atividade que gera riqueza e agrega valor.”

Agentes financeiros - Os agentes financeiros também agradeceram a oportunidade de serem parceiros no projeto. A gerente de relacionamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Carmen Truite, salientou que a instituição é parceira do produtor.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE