Venda de leite cru tem queda de 16% este ano em Mato Grosso do Sul

Aquisição pesquisada pelo IBGE é aquela que tem atuação de inspeção sanitária federal, estadual e municipal

| MIDIAMAX/ELIAS LUZ


Aquisição de leite teve brusca diminuição em MS e no País. Foto: Acrisul/Embrapa

A aquisição de leite cru feita por estabelecimentos da pecuária em Mato Grosso do Sul que recebem inspeções sanitárias nas esferas federal, estadual e municipal foi de 31,6 milhões de litros. A pesquisa feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que, no 1º trimestre de 2022, houve uma queda de 16,2% em relação ao 1° trimestre de 2021, e redução de 2,1% em relação ao último trimestre do ano passado.

No Brasil, a aquisição foi de 5,90 bilhões de litros, com redução de 10,3% em relação ao 1° trimestre de 2021, e queda de 9,3% em relação ao último trimestre do ano passado. É o maior declínio nacional desde que a pesquisa começou a ser feita, no fim da década de 1980. No comparativo do 1º trimestre de 2022 com o mesmo período de 2021, o decréscimo de 678,01 milhões de litros de leite captados em nível nacional é proveniente de reduções registradas em 19 das 26 Unidade Federativas investigadas.

As variações negativas mais significativas ocorreram em Goiás (-160,15 milhões de litros), Minas Gerais (-158,73milhões de litros), Rio Grande do Sul (-100,77 milhões de litros), Paraná (-73,06 milhões de litros), São Paulo (-64,26milhões de litros) e Santa Catarina (-57,71 milhões de litros).

Em compensação, os acréscimos mais relevantes ocorreram em Sergipe (+20,07 milhões de litros), Ceará (+11,44 milhões de litros) e Pernambuco (+9,94 milhões de litros). Minas Gerais continuou liderando o ranking de aquisição de leite, com 25,5% da captação nacional, seguida por Paraná (13,8%) e Rio Grande do Sul (12,5%). Nesse cenário, Mato Grosso do Sul apenas figura na 17ª posição no ranking nacional.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE