Operação dá resultado e apreende 97% a menos de pescado que 2017 - PORTAL ANGÉLICA - Seu Portal de Notícias

24º min
37º min


Operação dá resultado e apreende 97% a menos de pescado que 2017

Piracema é operíodo natural de reprodução dos peixes de água doce, que ocorre anualmente

Publicado em: 05/12/2018 às 14h20

- campo grande news

Canoa e petrechos apreendidos pela PMA em Aquidauana. (Foto: Reprodução PMA)

A Operação Piracema da PMA (Polícia Militar Ambiental), apreendeu 97% a menos de pescado no primeiro mês em relação ao mesmo período do ano passado e autuou apenas três pessoas este ano. Nesta quarta-feira (5), a operação completou um mês de proteção ao período reprodutivo dos peixes.

Conforme a PMA, o primeiro mês de operação do ano passado bateu recorde na quantidade de presos, pescado apreendido e multas. Este ano, foram apreendidos apenas 30 kg de pescado, três pessoas presas e autuadas por pesca predatória e R$ 3 mil de multa. Em Mato Grosso do Sul, as apreensões aconteceram na Capital, Três Lagoas e Aquidauana.

O número de pescado corresponde a 97,3% a menos do que na operação passada onde foram apreendidos 1.222 kg, autuadas 21 pessoas e aplicadas R$ 109.990,00 de multa. O alto valor de pescado apreendido e de multas aplicadas se deu em grande parte, pela prisão de quatro pescadores com 949 kg de pescado, em Corumbá.

“Esperamos manter a estratégia de fiscalização intensiva, para que haja sempre um grande número de pessoas que desrespeitam a lei presas no momento que iniciam a pescaria. Ou seja, sem que tenham conseguido capturar grande quantidade de pescado. Esta é a melhor estratégia e é o que vem acontecendo em cada piracema, em que a quantidade de pescado apreendida vem mantendo-se na mesma média, bem como o número de pessoas presas”, informou a PMA em nota.

A expectativa é que este ano, seja aprendida um pouco mais de uma tonelada de pescado durante toda a época de Piracema, média estimada desde 2000, quando a polícia começou o monitoramento dos cardumes. Os autuados continuam sendo encaminhados para as delegacias onde são presos em flagrante com intuito de mostrar aos infratores que estão comendo um crime passível de cadeia, sem fiança no caso de reincidência.

As pessoas autuadas e presas responderão a processo criminal e poderão, se condenadas, pegar pena de um a três anos de detenção. Além disso, a multa administrativa é de R$ 700,00 a R$ 100.000,00, mais R$ 20,00 por quilo do pescado irregular.